Noticias

29 de jun de 2012

MUSEU INTERNACIONAL DE ARTE NAIF (MIAN)

DEPOIS DE CINCOS ANOS FECHADO, MUSEU INTERNACIONAL DE ARTE NAÏF REABRE AS PORTAS

Os números são a melhor evidência da sua importância: únicomuseu internacional de arte naïf no Brasil, o Museu Internacional de Arte Naïf(MIAN) possui o maior acervo de arte naïf do mundo inteiro! Com todos osestados brasileiros ali representados e obras de mais de 100 paísesestrangeiros, do século XV aos dias de hoje, são ao todo cerca de 6.000 obras.Depois de cinco anos fechado, o MIAN reabre parcialmente as portas, graças àverba concedida pela Prefeitura do Rio e ao Prince Claus Fund, organizaçãoholandesa que visa salvaguardar acervos e permitiu a reforma do telhado dareserva técnica, afetado pelas chuvas de 2010.

PARA A REABERTURA DO MUSEU, SÃO AO TODO 250 OBRAS EM OITO EXPOSIÇÕES,INCLUINDO UMA VIDEOINSTALAÇÃO

Depois da repaginada, o MIAN teve sua área expositivatotalmente reformulada, com exposições interativas, permanentes e temporárias,todas de cunho sócio-educativo e cultural. A cargo de Gerardo Villaseca, oprojeto museográfico abrange painéis que vão cobrir algumas portas daarquitetura original, ampliando e uniformizando o espaço expositivo do salão principal.Para abrigar a nova exposição internacional com uma videoinstalação emhomenagem a Rousseau no subsolo, todas as vitrines, que antes interferiam noolhar do visitante, estão sendo removidas e o mesmo sistema de painéis estásendo adotado, resultando num visual mais limpo. A fachada ainda aguardainvestimento para restauro, mas recursos tecnológicos, como o uso de audioguiaem português (exposição Molas Panamenhas) e terminais in loco para uma votaçãodos símbolos mais belos da cidade vão estar ao alcance do visitante. A novalogomarca, a cargo da Dupla Design, funciona como uma máscara para as telas doseu acervo.

OUTRA NOVIDADE É A SALA EM HOMENAGEM AO SEUFUNDADOR, LUCIEN FINKELSTEIN

Segundo Tatiana Levy, gerente executiva do MIAN, esta é aretomada do projeto museu-escola. Uma das novidades, a exposição panamenha"Molas", que permanece durante um ano e apresenta técnicas desobreposição de tecidos, proporciona uma experiência sensorial através do áudioe do tato, atendendo principalmente a portadores de necessidades especiais.Outra novidade que está por vir faz brilharem os olhos da diretora e curadoraJacqueline Finkelstein: "Além da alegria de poder reabrir o Museu Naif com todos esses atrativos, destaco ahomenagem ao presidente-fundador, Lucien Finkelstein, meu pai, que vai ter umasala com seus diplomas, medalhas e troféus conquistados ao longo da vida comohomem das artes que foi".
Visitas Guiadas com agendamento prévio, atividadessócio-educativas, palestras e a exposição “Naïfs + 20”, com uma mostrade quadros nacionais alertando para a salvaguarda da natureza do planeta,complementam a agenda do museu, que ainda vai ter música no primeiro fim desemana pós-abertura, com apresentação de um coral insraelense marcando a voltado projeto “Música no Museu”, com entrada franca e retirada desenhas uma hora antes, uma vez por mês. A lojinha reabre junto com o museu, comrenda revertida para a manutenção. Em breve o espaço vai abrigar um café,complementando as mudanças que prometem transformar o local em um excelenteprograma para a família. O horário de visita ainda vai ser mantido em esquemade “soft opening”, uma vez que o museu ainda aguarda verba demanutenção e recuperação da fachada.

CONFIRA, A SEGUIR, TODA A PROGRAMAÇÃO COM AS EXPOSIÇÕES:


EXPOSIÇÕES PERMANENTES DO ACERVO NACIONAL

"RIO DE JANEIRO, GOSTO DE VOCÊ, GOSTO DESSA GENTEFELIZ...”

A exposição retrata a cidade do Rio de Janeiro numa visãopanorâmica, através de uma tela de 4 por 7 metros da pintora LiaMittarakis. A dinâmica das atividades consiste numa visita guiada por monitorese/ou arte educadores e ao final a exploração de um tema na tela ondepersonagens ou bairros serão procurados pelas crianças. De forma lúdica,interativa e através de uma proposta pedagógica sócio-interacionista, quepromove a construção do conhecimento a partir das interações dos indivíduos comseu meio, sua comunidade e sua cultura, pretende-se provocar uma reflexão nosespectadores sobre os pontos positivos nos bairros e na cidade abrindo umcaminho para uma discussão, não só sobre a nossa percepção referente a nossacidade, mas também aumentar o entendimento dos visitantes sobre o olhar dosartistas naïfs em relação ao Rio de Janeiro e a maneira como eles pintam.


"RIO DE JANEIRO NAÏF " – 40 QUADROS NAÏFSCARIOCAS

Mostra de 40 quadros com os principais pontos turísticos doRio vistos pelo pincel ingênuo dos naïfs brasileiros. Visitantes poderãoexplorar os pontos retratados nos quadros através da manipulação e leitura dolivro Rio de Janeiro naif e ao final da exposição será disponibilizado umterminal de computador onde os visitantes podem obter informações turísticas evotar em sua atração favorita. A intenção é promover a interatividade e ainclusão sociocultural através do uso das novas tecnologias e a criação de umbanco de dados sobre as preferências dos visitantes do museu.

“NAÏFS + 20”

A exposição usa a temática do evento Rio+20, com uma mostrade quadros nacionais alertando para a salvaguarda da natureza do planeta. Serãoexpostas obras dos artistas Zizi Sapateiro, Ivonaldo, Emerlinda, Rosina Beckerdo Valle, Magda Mitarrakis, Berenic, Mabel, Dalvan, entre outros.

SALA EM HOMENAGEM A ROUSSEAU - VÍDEOS

Dedicada ao pintor francês Henri Rousseau, o primeiroartista moderno a ser reconhecido como naïf no mundo moderno. No vídeo,reproduções fotográficas de algumas de suas obras, pertencentes aos maisimportantes museus do mundo (Louvre, Museu Picasso, MOMA), tais como: La Bohémienne endormie (Acigana adormecida); A guerra; A encantadora de serpentes; O sonho; Eu mesmo,retrato, paisagem.

SALA EM HOMENAGEM A LUCIEN FINKELSTEIN

Fundador do Museu de Arte Naïf, Lucien Finkelstein, pai dacuradora Jacqueline, vai ter uma sala com seus diplomas, medalhas e troféus.
BRASIL, 5 SÉCULOS

A exposição tem como proposta principal retratar fatos eacontecimentos históricos significativos desde a chegada dos Portugueses aoBrasil até a inauguração de Brasília, utilizando uma linha do tempo sobre esseseventos numa tela única (1,40m altura x 24m comprimento), de autoria dapaulista Aparecida Azedo, sendo a maior tela do mundo no gênero naïf. Atravésde atividades socioeducativas e de modo lúdico, pretende-se recontar a Históriado Brasil desde o descobrimento até a inauguração de Brasília, durante umavisita guiada, que iniciará na escola. As crianças receberão uma palestradidática sobre a ordem cronológica e serão convidadas a preencher uma linha dotempo com os fatos marcantes da história do Brasil de acordo com a perspectivadeles. Receberão também informações sobre arte Naif. Na visita ao museu, osalunos irão contrastar a linha do tempo que elaboraram na escola com a linha dotempo retratada no quadro. Serão levados a refletir sobre as escolhas das cenaspropostas no quadro em relação aos eventos escolhidos por eles. Paralelamentereceberão como incumbência, retratar um dos eventos históricos presentes natela. De volta à escola, os alunos irão elaborar uma linha do tempo usando assuas próprias interpretações (desenhos ou pinturas), criando uma nova eoriginal tela baseada na exposição que visitaram no museu. Essa linha do tempocriada pelos estudantes pode ser objeto de uma exposição, para pais e colegasna escola, levando o conhecimento histórico e a arte Naif para um público aindamaior. Para a seleção dos fatos, eventos e ciclos econômicos retratados na telao MIAN teve a supervisão da professora Adriana Moretta Monteiro.

MESTRES NAÏFS BRASILEIROS

Coletiva de expoentes da arte naïf brasileira com temasrelacionados a diversos aspectos do país tais como: fauna, flora, religião,folclore...A exposição de longa duração do acervo internacional, terá obras deAparecida Azedo, Lia Mittarakis, Gerson, Elza O.S, Grauben, Chico da Silva,Octacilia, Cardosinho, Leandro Joaquim, Heitor dos Prazeres, Miriam e Miranda.

LENDA OU REALIDADE?

Coletiva de artistas naïfs estrangeiros como PrefeteDuffaut (Haiti), considerado um dos maiores pintores naïfs vivos do mundo,Luiza Caetano (Portugal), Thraki Jones (Chipre), Ysanne Gayet (Paraguai),Barbara Wikle (EUA), Tito Lucaveche (Espanha). A exposição terá telas com temasrelacionados aos aspectos do imaginário e cotidiano dos povos de vários países.

EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA

”MOLAS” DO PANAMÁ

Coletiva com cerca de quinze telas molas anônimas bordadassobre tecido feito pelas mulheres índias da tribo Kuna, população nativa doPanamá, que consiste em recortar e costurar à mão, várias camadas de tecido decores diferentes. Exposição contemplativa e interativa, com telas anônimas visaatender os portadores de necessidades especiais através do tato, olfato esonorização. A acessibilidade é realizada por meio de instalações de placas debraile e os quadros de molas panamenhas proporcionaram uma visualizaçãosensorial das imagens. Essa mostra será complementada por áudio guias queexplicarão a técnica utilizada para produzir molas e um pouco da história dasetnias e população nativa da América central.



TUDO COMEÇOU COM A PAIXÃO DE LUCIEN FINKELSTEIN PELA ARTENAÏF...

Situado desde 1995 em um belíssimo casarão na Rua CosmeVelho, o MIAN é fruto da paixão de Lucien Finkelstein pela arte naïfbrasileira. Ao longo de 40 anos, Lucien foi adquirindo obras nacionais einternacionais para sua coleção particular e hoje o acervo do MIAN reúne 300artistas naïfs brasileiros, com mais de 3.500 obras; 100 pintores naïfsestrangeiros, do século XV aos dias de hoje, configurando um total de mais de6.000 obras. O desejo de partilhar seu rico acervo levou Lucien Finkelstein ainstituir, em 1985,

a Fundação Lucien Finkelstein, entidade civil sem finslucrativos, cujo objetivo era a criação do MIAN. Em 1988, foi organizada aprimeira grande mostra de obras do MIAN. Chamada de O Mundo Fascinante dosPintores Naïfs, a exposição realizada no Paço Imperial recebeu cerca de 70 milvisitantes.

museu art naif   museu art naif  

Ficha técnica

Direção Geral e Curadoria: Jacqueline Angelo Finkelstein
Coordenação Socioeducativa: Tatiana Levy
Coordenação Técnica: Patricia Castro
Produção Executiva: Patricia Castro
Assistência de Produção: Tania Magalhaes
Projeto Cenográfico: Gerardo Villaseca
Montagem Cenográfica/Iluminação: Luiz Celso Ramos
Programação Visual: Ney Vale – DuplaDesign
Assessoria de Imprensa: Bia Sampaio - BriefCom Comunicação
Patrocínio: Prefeitura do Rio de Janeiro - SecretariaMunicipal de Cultura (SMC)
Realização: Fundação Lucien Finkelstein - MuseuInternacional De Arte Naif Do Brasil (MIAN)

MUSEU INTERNACIONAL DE ARTE NAÏF (MIAN)

Rua Cosme Velho, 561 – Cosme Velho.

Funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 18h; sábado,das 12h às 18h com agendamento prévio (pode ser feito até um dia antes).

Ingresso: R$ 16; crianças até 5 anos não pagam; R$ 8 (meiaentrada), estudantes, menores de idade e maiores de 60 anos.

Telefone: 2205-8612



Nossos contatos:

Bia Sampaio (biasampaio@briefcom.com.br) – (21)8181-8351

Gabriela de Oliveira (imprensa@briefcom.com.br) –(21) 2511-2409







RuaJardim Botânico, 600/sl
(21)2511-2409

...

...

...