Noticias

2 de mar de 2013

Museu de Arte do Rio - MAR


No aniversário da Cidade Maravilhosa, nesta sexta-feira (01/03), quem ganhou o presente foi a população do Rio de Janeiro, com a inauguração do Museu de Arte do Rio, o MAR, na Praça Mauá. Com a presença da presidenta Dilma Roussef, que passou o dia na cidade que completa hoje 448 anos, do prefeito Eduardo Paes e de dois mil convidados, o MAR iniciou oficialmente suas atividades. Também estiveram presentes o governador Sérgio Cabral e a ministra da Cultura, Marta Suplicy, entre outras autoridades. Nos próximos dias, o mais novo museu do Rio receberá visitas de alunos de escolas da rede municipal e de funcionários que participaram de sua construção, além de seus familiares. Na próxima terça-feira (05/03), o MAR abre suas portas para o grande público, com exposições com a cara do Rio e dos cariocas.





- Esse é o primeiro ícone forte da Região Portuária, que está renascendo. Acredito que uma cidade sem Centro é uma cidade sem alma, e agora o Rio volta a olhar para o seu Centro graças ao talento do seu povo e à criatividade da nossa gente, o que representa um sinal de rejuvenescimento e de renascimento dessa cidade. O MAR e a Escola do Olhar são só o primeiro símbolo de uma transformação que está na alma de todos os cariocas - disse o prefeito Eduardo Paes, que agradeceu à Fundação Roberto Marinho pela parceria no projeto e no Museu do Amanhã, que está sendo construído também na Região Portuária.

Já a presidenta Dilma Rousseff falou da importância desse novo equipamento cultural para a cidade:

- O Rio tem varias marcas que fizeram a história dessa cidade. Temos, por exemplo, o Aterro do Flamengo e os túneis, que vieram para unir os contrastes do Rio. A partir de agora o MAR e sua grande e bela onda se juntará a essas marcas, seus visitantes terão a oportunidade de conhecer a alma artística do Rio de Janeiro através de obras que retratam o apreço de uma cidade por seu povo.

O MAR ocupa dois prédios na Praça Mauá: o Palacete D. João VI (que abriga o pavilhão de exposições), datado de 1916 e tombado, e outro, de estilo modernista, onde funcionará a Escola do Olhar, equipamento que pretende atender cerca de dois mil professores e 200 mil alunos da rede municipal de ensino por ano. O museu é a primeira obra do Porto Maravilha, projeto da Prefeitura do Rio de revitalização da Região Portuária, a ser entregue. Juntamente com o Museu do Amanhã, em construção, o MAR será uma das âncoras culturais daquela região.

- A cultura exerce um fator civilizatório muito importante. Por isso, todos os alunos da rede terão acesso ao museu. . Estamos falando de 600 mil crianças e adolescentes visitando o espaço ao longo de três anos. Além disso, dois mil professores serão capacitados anualmente no prédio da Escola do Olhar para que saibam orientar seus alunos a compreender uma obra de arte - disse a secretária municipal de Educação, Claudia Costin.

Concebido pelo escritório de arquitetura carioca Bernardes + Jacobsen, o Museu de Arte do Rio é composto por duas construções, interligadas por uma cobertura fluida de concreto (que remete a uma onda), e uma rampa por onde os visitantes têm acesso às exposições, distrubuídas em oito grandes salas de cerca de 400m² cada uma. Além disso, o público têm à disposição área educativa, auditório, biblioteca, restaurante-mirante, café e loja.


- Trata-se de uma instituição de excelência, desde o projeto arquitetônico à formação das equipes e da coleção que será exibida, que tem como personagem principal o Rio de Janeiro. É um museu que dialoga com a cidade e isso é inédito. Não falamos de um museu estagnado, mas algo em constante movimento - explicou o secretário municipal de Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Para tornar sua inauguração ainda mais inesquecível, o museu abriu suas portas com quatro exposições simultâneas: "Rio de Imagens: uma paisagem em construção", uma seleção de 400 peças que retratam a cidade através do imaginário de seus habitantes, visitantes e admiradores ao longo de quatro séculos; "O colecionador: arte brasileira e internacional na coleção Boghici", mostra de 136 obras pertencentes ao marchand romeno, radicado no Rio, Jean Boghici; "Vontade construtiva na Coleção Fadel", 250 obras que retratam a ligação que os movimentos modernos e pós-modernos tiveram como alicecers da edificação cultural brasileira; e "O abrigo e o terreno - Arte de sociedade no Brasil I", com peças que discutem a ocupação do espaço público e a dinâmica da sociabilidade.

O MAR também conta com acervo próprio, que, em processo de formação, já cataloga três mil obras, entre as quais 1.200 aquarelas de Santiago Calatrava e mil livros de artistas múltiplos, além de 5.000 peças de memorabilia do Rio, documentos históricos, manuscritos sobre a escravidão, fotografias e cartões postais. O grande destaque do acervo fica por conta do "São Jose de Botas", uma das quatro esculturas de Aleijadinho tombadas individualmente.


Uma iniciativa da Prefeitura do Rio em parceria com a Fundação Roberto Marinho, o museu tem como patrocinadores a Vale e as Organizações Globo, além do apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A gestão é de responsabilidade do Instituto Odeon, organização social (OS) vencedora da concorrência pública aberta pela Prefeitura do Rio.

museu arte rio Museu de Arte do Rio recebe prêmio internacional de arquitetura   O Museu de Arte do Rio (MAR), instalado na Praça Mauá, no Centro, conquistou  o título de melhor construção de 2013 na categoria Museu, pelo voto popular do Architizer A+ Awards, o maior prêmio internacional de arquitetura do mundo.       Saiba mais...

Saiba mais sobre o Museu de Arte do Rio (MAR):





EXPOSIÇÕES:

3º Andar
Rio de Imagens: Uma Paisagem em Construção
Curadoria – Rafael Cardoso e Carlos Martins
Duração: 01/03 a 28/07
A exposição Rio de Imagens: Uma Paisagem em Construção ocupa o terceiro andar do pavilhão de exposições do MAR – o primeiro no fluxo de visitação proposto pelo museu – e retrata as transformações do cenário urbano e a construção do imaginário sobre o Rio de Janeiro, por moradores e visitantes. Com curadoria de Carlos Martins e Rafael Cardoso, a mostra conta com aproximadamente 400 peças e mostra a evolução da cidade ao longo de quatro séculos.

Além de importantes obras da arte brasileira dos séculos XIX e XX – entre elas, quadros de Tarsila do Amaral, gravuras de Lasar Segall e aquarelas de Ismael Nery –, a exposição apresenta objetos do cotidiano que são diretamente influenciados pela paisagem carioca, como objetos de decoração, fotos, desenhos e gravuras. A arte contemporânea ganhará um espaço exclusivo na mostra com um apanhado da produção artística brasileira dos anos 50 até os dias de hoje. Três instalações multimídia, criadas especialmente para a exposição, ajudarão o visitante a imaginar a cidade em sua dimensão histórica e afetiva.

2º Andar
O Colecionador : Arte Brasileira e Internacional na coleção Boghici
Curadoria – Luciano Migliaccio e Leonel Kaz
Duração: 01/03 a 01/09
Concebida por Aprazível Edições e Arte, com curadoria artística de Luciano Migliaccio e Leonel Kaz, projeto cenográfico assinado por Daniela Thomas e Felipe Tassara e programação visual de Jair de Souza, a exposição apresentará 136 peças da coleção particular do marchand Jean Boghici. De forma lúdica, a mostra vai propor um mosaico da nossa arte e história, no século XX. O recorte curatorial se inicia com a Missão Francesa de 1816 e se estende aos dias de hoje. Entre pinturas e esculturas, O Colecionador irá reunir obras de Di Cavalcanti, Brecheret, Guignard, Vicente do Rego Monteiro, Rubens Gerchman, Antonio Dias, Calder, Lucio Fontana, Morandi, Kandinsky, Max Bill e outros 70 artistas.

1º Andar
Vontade Construtiva na Coleção Fadel
Curadoria – Paulo Herkenhoff e Roberto Conduru
Duração: 01/03 a 07/07
Com cerca de 230 peças, a mostra pretende exibir um expressivo e histórico conjunto de obras da coleção Fadel, produzidas por artistas plásticos brasileiros representantes dos movimentos concreto e neoconcreto, que surgiram e se desenvolveram durante as décadas de 1950 e 1960. E apresentar também obras significativas deste período artístico pertencentes ao acervo do Museu de Arte do Rio – MAR, adquiridas ou doadas recentemente, como o São José de Botas, de Aleijadinho, que aparece em meio a coleção de obras sacras do colecionador e outras peças do acervo do museu.

Um dos principais objetivos da exposição é demonstrar a relação direta que os movimentos modernos e pós modernos no Brasil tiveram, e ainda têm como alicerces sólidos para a edificação cultural do país – vitais no desenvolvimento socioeconômico. Vontade Construtiva na Coleção Fadel reunirá obras de Willys de Castro, Hercules Barsotti, Lygia Clark, Franz Weissemen, Ligya Pape, Hélio Oiticica, Aloísio Carvão, Avatar de Moraes, Amilcar de Castro e Almir Mavigner, entre outros.

Térreo
O Abrigo e o Terreno - Arte de Sociedade no Brasil I
Curadoria – Clarissa Diniz e Paulo Herkenhoff
Duração: 01/03 a 14/07
A exposição concentra sua atenção na ocupação do espaço público, na dinâmica da sociabilidade. Questões como as relações de inclusão e exclusão no contexto urbano; a constituição da propriedade, a ideia de posse e usufruto dos espaços sociais; a discussão das instâncias do público e do privado; as lógicas de concepção e organização das cidades, situações de reforma do planejamento urbano; e a constituição de espaços de convivência, encontro e antagonismo, dentre outras, serão abordadas na mostra. Com obras de Antonio Dias, Antonio Manuel, Bispo do Rosário, Helio Oiticica, Lucia Koch, Lygia Clark, Lygia Pape, Marepe, Raul Mourão, Rochele Costi, Waltercio Caldas e os coletivos Ocupação Prestes Maia, E-OU, Opavivará, entre outros, O Abrigo e o Terreno tem curadoria de Clarissa Diniz e Paulo Herkenhoff e inaugura o projeto “Arte e Sociedade no Brasil”, que deve ser trabalhado pelo MAR nos próximos quatro ou cinco anos.


SERVIÇO:
O Museu de Arte do Rio fica na Praça Mauá e pode ser visitado de terça-feira a domingo, e nos feriados, das 10h às 17h, com ingressos a R$ 8,00 (R$ 4,00 meia-entrada). Às terças-feiras a entrada é franca. O museu não funciona ás segundas.
De quarta a domingo, há gratuidade para os seguintes grupos (todos precisam apresentar documentação): alunos da rede pública de Ensino Médio e Fundamental; crianças com até 5 anos de idade; pessoas com mais de 60 anos; professores da rede pública; membros do ICOM e profissionais de museus; e grupos em situação de vulnerabilidade social em visita.
Para agendar uma visita, o interessado deve entrar em contato com a Central de Informações do MAR através do telefone (21) 2203-1235 begin_of_the_skype_highlighting GRÁTIS (21) 2203-1235 end_of_the_skype_highlighting ou pelo e-mail info@museudeartedorio.org.br.

PROJETO PORTO MARAVILHA


Idealizado pela Prefeitura do Rio, o Porto Maravilha é o projeto que está revitalizando uma área de cinco milhões de metros quadrados no Centro Histórico, a Região Portuária. Trata-se da maior Parceria Público-Privada (PPP) do Brasil, no valor de R$7,6 bilhões. O projeto prevê a recuperação da infraestrutura urbana, dos transportes, do meio ambiente e dos patrimônios histórico e cultural de toda a região do Porto. A iniciativa também inclui a melhoria das condições habitacionais e a atração de novos moradores e investidores para a cidade, com a chegada de grandes empresas e incentivos fiscais. A região engloba os bairros do Santo Cristo, Gamboa, Saúde e trechos do Centro, Caju, Cidade Nova e São Cristóvão.

Fonte Prefeitura - rj
Autor: Flávia David
Fotos: Beth Santos, J.P. Engelbrecht e Raphael Lima

Nenhum comentário:

...

...

...