Noticias

17 de mai de 2014

Bares e restaurantes do Rio são categorizados para a Copa





Os selos com a nota de classificação de bares e restaurantes para a Copa serão distribuídos neste sábado (07/06,) a partir de 19h, na região do Jardim Botânico. O objetivo é distribuí-los em todos os estabelecimentos antes de começar o mundial de futebol.
Os 243 bares, restaurantes e lanchonetes escolhidos pela Vigilância Sanitária para participarem de um projeto de categorização melhoraram suas notas, após um trabalho intensivo de fiscalização e orientação. Agora, 85% estão enquadrados nas categorias A e B, as mais altas.


Durante quase um ano, profissionais da vigilância compareceram aos locais, analisaram a situação de cada um e orientaram os proprietários a adequarem seu comércio dentro do padrão sanitário legal. As autoridades entregaram uma lista com 51 itens que seriam inspecionados. Quanto mais o estabelecimento tivesse itens dentro do exigido, maior seria a nota.


Na primeira análise, 20,2% foram enquadrados na categoria "A" (melhor classificação); 39,1% na "B" (tiveram falhas de baixo e médio impacto); 23,7% na "C" (grande quantidade de falhas, mas dentro do limite aceitável); e 17% categorizados como "Pendentes", que são aqueles que possuem uma quantidade inaceitável de falhas para serem categorizados.


Após o trabalho de orientação e acompanhamento da Vigilância Sanitária, os estabelecimentos nível "A" subiram para 35% e os classificados como "B" para 50%. O número de estabelecimentos nas classes inferiores diminuiu. Os enquadrados na "C" caíram para 13% e os "Pendentes" para 2%. Os critérios utilizados para a escolha dos estabelecimentos foram rotas turísticas, circuitos gastronômicos, áreas de lazer, dentre outros.


O Rio de Janeiro divulgou nesta segunda-feira (12/05) a classificação dos 243 bares e restaurantes que receberão, a partir deste mês, os selos de categorização para a Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014. O município aderiu ao programa de Categorização e Alimentos para a Copa do Mundo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
 
Do total de estabelecimentos,  20,20% estão na categoria A (os melhores em classificação); 39,1% na B (falhas de baixo ou médio impacto); 23,70% na C (grande quantidade de falhas, mas dentro do limite aceitável do ponto de vista sanitário); e 17% pendentes (quantidade de falhas inaceitável para a categorização).
 
A categorização faz parte de um projeto piloto para orientar os turistas que visitarem o país durante a Copa, e foi feita em estabelecimentos das cidades-sedes dos jogos e de alguns municípios com grande fluxo turístico. No entanto, o objetivo da ANVISA é implantar a categorização em todo o país, incluindo Salvador, que não aderiu a esse projeto para a Copa.

O superintendente da Vigilância Sanitária e Fiscalização Sanitária em Alimentos da prefeitura, Luiz Carlos Coutinho, destacou alguns dos itens mais importantes para o trabalho de categorização de bares e restaurantes:

 
- São itens importantes, que agravam o risco de pessoas contraírem alguma doença: o controle de temperatura dos alimentos expostos no balcão, prazo de validade dos alimentos, uniforme dos funcionários, higiene das instalações e controle de qualidade da água.
 
Os selos serão distribuídos no final de maio pela Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonozes (Subvisa). As notas e os selos ficarão expostos nos estabelecimentos e no site da Anvisa. Os comerciantes deverão retirar os selos dos estabelecimentos até o dia 31/08.
 
A capital fluminense está acima da média nacional, que apontou 16,9% estabelecimentos enquadrados na categoria A; 40,7% na B; 25,6% na C; e 16,9% Pendentes. Além das 11 cidades-sede da Copa do Mundo, outras 13 aderiram voluntariamente ao projeto piloto.
 
De acordo com a Anvisa, todos os estabelecimentos foram aprovados ou não por 51 itens de classificação. Foram 1.994 estabelecimentos categorizados em todo o país, entre bares, restaurantes e lanchonetes dos pontos turísticos e aeroportos, exceto o de Manaus, que está em reforma. Nesses locais, a maioria dos estabelecimentos (87,64%) foi enquadrada nas categorias A e B.
 
- O projeto é interessante porque uniformiza o olhar da Vigilância Sanitária e das equipes técnicas.Para o turista também é importante, porque eles podem ter acesso a informações sobre os estabelecimentos antes de utilizá-los. Aconselhamos aos turistas  utilizar os estabelecimentos inspecionados, não necessariamente os que têm o selo, mas seguem as exigências de segurança alimentar - disse Coutinho. 

 Prefeitura
 Autor: Anna Beatriz Cunha

Nenhum comentário:

...

...

...