Noticias

15 de jul de 2014

900 mil turistas durante a Copa do Mundo 2014 no Rio


O Rio de Janeiro recebeu quase 900 mil turistas durante a Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, movimentando R$4,4 bilhões no período, superando a estimativa inicial do Ministério do Turismo de uma receita de R$1 bilhão.
Os números foram divulgados nesta terça-feira (15/07) pela Prefeitura do Rio, através da Rio Eventos Especiais e da Riotur.  

886 mil turistas (471 mil estrangeiros e 415 mil brasileiros) passaram em média nove dias na cidade. Excetuando-se os excursionistas (turistas que permanecem menos de 24 horas em um destino), foram 770 mil brasileiros e estrangeiros gastando por dia R$639,52. Nas sete partidas disputadas no Maracanã, o estádio recebeu 518 mil espectadores. No Fifa Fan Fest, em Copacabana, 814 mil pessoas assistiram aos jogos da Copa. 


- O Rio se tornou uma grande festa e foi a cidade que mais recebeu turistas durante a Copa. Demos um show de hospitalidade e recebemos os visitantes de forma espetacular. Recebemos elogios e fomos aprovados pelos turistas, além de conseguirmos uma arrecadação financeira que superou nossas expectativas. Foram injetados mais de R$ 4 bilhões na economia da cidade, principalmente porque os turistas gostaram e ficaram mais tempo aqui - explicou  o secretário especial de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello, que comentou sobre a imagem da cidade:


- Tivemos um legado intangível que é o de imagem, com mais de 19 mil jornalistas de todo o mundo trabalhando no International Broadcast Centre (IBC), transmitindo imagens do Rio para milhões de pessoas no planeta. Esse é um legado que virá a longo prazo, com uma enorme quantidade de turistas que vão querer conhecer a Cidade Maravilhosa e voltar nas Olimpíadas.


O presidente da Rio Eventos Especiais, Leonardo Maciel, salientou os principais destaques do sucesso do evento na cidade:



- Fizemos um Mundial muito bem organizado, planejado e com ações bem definidas, que deram conta de todas as demandas. O Centro de Operações foi uma ferramenta de trabalho fundamental para o monitoramento, a integração dos órgãos e o desenvolvimento das ações. E o que nos ajudou bastante também foi a colaboração da população, que entendeu a grandeza do evento e seguiu as recomendações da prefeitura para utilizar o transporte público, reduzindo o fluxo de veículos no trânsito em 21% nos dias de jogos no Rio. 
 
 
 
No trânsito, a operação do Maracanã deu preferência ao pedestre, que encontrou o entorno do estádio fechado para o tráfego. As interdições possibilitaram a segurança e o conforto dos torcedores, que se deslocaram para a região através do transporte público. O destaque foi para o metrô, que efetuou 686 mil viagens para o Maracanã (ida e volta). 


A Secretaria Municipal de Ordem Pública preparou uma operação especial no Maracanã, Alzirão e no FIFA Fan Fest. Mais de 30 mil itens foram apreendidos por ambulantes irregulares nesses locais (5.040 no Maracanã e 25.977 na Fan Fest e Alzirão), e quase 1.400 veículos foram rebocados nessas regiões.  No Maracanã, 105 flanelinhas e 47 cambistas foram detidos, além de 274 apreensões de marketing de emboscada.



A Comlurb, por sua vez, montou um esquema especial, em que 10,4 toneladas de lixo foram recolhidas na região do Maracanã nos dias de jogos. Em Copacabana, por causa do Fan Fest, foram retiradas 498 toneladas. No Alzirão, 20,9 toneladas de lixo foram recolhidas nos dias de jogos da seleção brasileira. Ao todo, 452 garis e 69 agentes de limpeza urbana participaram da operação e 6.234 multas foram emitidas para quem jogou lixo no chão, sendo 1.249 aplicadas em estrangeiros.


O trabalho da imprensa também teve destaque na cidade, que foi sede do International Broadcast Centre (Riocentro), do Centro Aberto de Mídia (Copacabana), dos Presentation Studios da FIFA (Copacabana) e do Centro de Mídia do Maracanã. Ao todo, cerca de 22 mil credenciais de imprensa (credenciada e não credenciada) foram emitidas. As Press Areas, montadas pela Prefeitura do Rio em 13 diferentes pontos da cidade, receberam 443 marcações, totalizando 221 horas de filmagem para 41 emissoras de 19 países.



O Centro de Operações Rio monitorou a operação da cidade e contabilizou mais de 140 deslocamentos de delegações, 220 horas de monitoramento no FIFA Fan Fest, além de 13 alertas via Twitter com as principais mudanças na mobilidade durante os dias de jogos.

Os hospitais municipais Miguel Couto e Souza Aguiar e as coordenações de emergência regional do Leblon e do Centro receberam durante o evento cerca de 330 turistas de mais de 35 nacionalidades diferentes. A CER Leblon foi a que teve maior diversidade de nações, 30. A maioria dos turistas atendidos foi de norte-americanos, chilenos, argentinos e colombianos. Dez pacientes foram removidos do estádio para unidade da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Turismo

O Fifa Fan Fest recebeu um total de 814.666 pessoas no interior da arena montada na Praia de Copacabana – sem falar nas outras milhares que assistiram no telão montado na área externa do evento para os dias de jogo do Brasil e da final, que reuniram mais de 100 mil pessoas. O recorde de público na área interna do evento foi aferido no dia 5 de julho, quando 55.533 pessoas passaram pelo local. Setenta e duas atrações musicais se apresentaram no palco montado na arena, totalizando 76 horas de shows e 300 horas de entretenimento.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RJ), a taxa média de ocupação dos hotéis da cidade ficou em 93,8%, chegando a 97,66% na final, no Maracanã. Os hotéis cinco estrelas foram os mais procurados, alcançando uma ocupação média de 98,15%, chegando a 99,75% na final. Nos estabelecimentos 3 e 4 estrelas, a média ficou em 93,22%, com ápice de 97,42% na partida final. A taxa de ocupação média dos albergues foi de 86% no período, sendo que a semana da final alcançou 100%, segundo a Associação de Cama & Café e Albergues do Estado do Rio de Janeiro (ACCARJ).

Os estacionamentos abertos pela Prefeitura do Rio para receber os turistas sulamericanos (em sua maioria argentinos) que vieram acompanhar a competição em motor homes, trailers e veículos de passeio funcionam até a manhã desta quarta-feira (16/07), às 11h. No domingo, estavam estacionados cerca de 900 veículos no total, distribuídos entre Apoteose, Feira de São Cristóvão e Terreirão do Samba.

- Um grande desafio foi, sem dúvida, a chegada desses turistas que não tinham onde ficar. As pessoas deveriam se preparar bem antes de pegar a estrada. A cidade do Rio tem diária para todos os gostos. Claro que a faixa litorânea é mais valorizada e tinha diárias mais altas, mas há outras opções de hospedagens, como os hostels, casas de aluguéis, lugares na Lapa. Mas fica aqui um aprendizado para a cidade, que soube dar uma resposta rápida e colocá-los nesses três lugares – declarou o secretário de Turismo.  

Nos postos fixos de informações turísticas da Riotur, o movimento foi intenso: 71.553 pessoas receberam informações turísticas nos postos fixos desde o começo do Mundial, sendo 84,8% estrangeiros e os postos da orla de Copacabana, da rodoviária e dos aeroportos os que receberam maior público. Já nos dezessete postos temporários, foram 87.615 atendimentos, com destaque para os postos do metrô, do Galeão e do Maracanã. Os agentes de informações turísticas, que distribuíram material informativo em pontos estratégicos ou de grande movimentação de pessoas, atenderam 53.554 pessoas desde o início do evento. O destaque vai para a orla da cidade, que concentra quase 50% da demanda diária. O item mais pedido é o mapa da cidade. Somando o trabalho realizado nos postos fixos, nos temporários e pelos agentes volantes, foram 212.722 atendimentos de informações turísticas em todo o período da Copa.  

A distribuição de material informativo seguiu o ritmo da imensa demanda: foram entregues 390 mil Guias do Rio, 1,7 milhão de mapas da cidade, 500 mil folders Guia do Espectador e 10,3 mil press kits.  

O projeto Rio Walking Tour, de visitas guiadas gratuitas a pé pelo Centro, Ipanema e Copacabana foi utilizado por 689 pessoas de 35 países diferentes, com destaque para Israel, Singapura, Bolívia, Suécia, Cazaquistão, Ucrânia, Áustria, Escócia, Emirados Árabes, Peru, Porto Rico e Nicarágua, países que sequer tinham seleções disputando o Mundial.  

Os press tours também agradaram os jornalistas e tiveram grande procura: 583 profissionais de imprensa puderam conhecer um pouco mais da Cidade Maravilhosa por meio dos passeios ou das oficinas esportivas oferecidos pela Riotur desde o começo da competição.  

O Cristo Redentor recebeu 295.917 visitantes durante o Mundial. A segunda semana do evento quase bateu o recorde de visitação da JMJ, que também ocorreu em julho do ano passado durante uma semana: foram 73.716 visitantes entre 16 e 22 de junho, segunda semana da Copa, enquanto o evento religioso levou 74.021 pessoas ao monumento no Parque Nacional da Tijuca. O balanço anual do Corcovado tem uma média de 5 mil visitantes por dia, mas durante a Copa foram registrados picos de até 12 mil visitantes/dia. O Pão de Açúcar, que costuma receber normalmente três mil pessoas por dia, teve picos de até 8 mil passageiros diários no bondinho, tendo recebido 174.830 turistas no período da Copa.  

Pesquisa de Satisfação

Segundo estudo realizado pelo Observatório de Turismo da UFF/ESPM em parceria com a Riotur e o Sebrae/RJ, os países que mais emitiram turistas foram Argentina (77 mil), Chile (45 mil), Colômbia (31 mil), Equador (24 mil), Estados Unidos (24 mil), França (16 mil), México (15 mil), Inglaterra (10 mil) e Alemanha (10 mil). Já entre os turistas nacionais, a maioria veio de São Paulo (167 mil), Minas Gerais (50 mil), Espírito Santo (28 mil), Santa Catarina (21 mil), e Paraná (17 mil).

De acordo com uma pesquisa realizada durante a Copa do Mundo pela GMR Inteligência de Mercado a pedido da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Turismo/Riotur, entre os turistas estrangeiros entrevistados, 98,8% deles tiveram as expectativas atingidas ou superadas e 98,3% recomendariam o destino a parentes e amigos. A pesquisa apurou ainda que 58% dos entrevistados têm a intenção de voltar daqui a dois anos, para acompanhar as Olimpíadas de 2016. A hospitalidade do carioca foi destaque, recebendo o índice de 97,1% (ótimo/bom).  

Na hora de dar notas aos serviços da cidade, o visitante estrangeiro julgou o quesito Informações Turísticas com 89% de avaliações positivas, seguido de perto pela Sinalização Turística, com 82,6% de aprovação. Os itens Segurança Pública e Limpeza Pública também foram bem conceituados, com mais de 76% considerando o serviço prestado ótimo ou bom.  

O turista nacional também vai voltar pra casa com uma excelente imagem do carioca e de sua cidade, segundo o levantamento: 98,4% tiveram as expectativas com a viagem atendidas ou superadas, 98,2% recomendariam a viagem para cá e 96% ratificaram como verdadeira a boa fama da hospitalidade do povo carioca. Os serviços da cidade também receberam boas notas dos brasileiros, sendo considerados ótimos ou bons a Segurança Pública (84,7%), a Limpeza (83,1%), a Informação Turística (80,2%) e a Sinalização Turística (78,2%).


Confira o balanço em números:

TRÂNSITO MARACANÃ:
• Fechamento de 10 vias no entorno do Maracanã para veículos nos dias de jogos e de 20 vias na Final;
• Interdição para estacionamento em 23 vias para a Final;
• Fechamento do viaduto Oduvaldo Cozzi para passagem de pedestres;
• Média de tempo da reabertura das vias: 2 horas após o término de cada partida;
• 71 horas de interdição total na região do Maracanã ao longo dos 7 jogos;
• 77 painéis de mensagens variáveis (154 mensagens por jogo);
• 2.500 metros de grades fixas e 1.000 metros de grades colocadas e retiradas em cada jogo;
• 1.650 agentes de trânsito e Guardas Municipais;
• 200 placas de trânsito, 240 placas em postes e 110 galhardetes;
• Média de redução de 21% no fluxo de veículos nas principais vias da cidade nos jogos no Rio;
• Redução de 5% no fluxo de veículos nas principais vias da cidade nos jogos de domingo (15 e 22 de junho e 13 de julho);
• Redução de 15% no fluxo de veículos nas principais vias da ciadade no feriado parcial (jogo de quarta-feira, 18 de junho);
• Redução de 26% no fluxo de veículos nas principais vias da cidade no feriado integral (jogo de quarta-feira, 25 de junho);
• Redução de 25% no fluxo de veículos nas principais vias da cidade no sábado (28 de junho);
• Redução de 34% no fluxo de veículos nas principais vias da cidade no feriado integral (jogo de sexta-feira, 4 de julho);
• 686.400 viagens de metrô para o Maracanã (374.400 idas e 312.000 voltas);
• 6.000 panfletos enviados a moradores do Maracanã sobre as mudanças da região;
• 1.800 credenciais veiculares para moradores do entorno do Maracanã;


TRÂNSITO EM COPACABANA (FIFA FAN FEST):

• Fechamento da Av. Atlântica (FIFA Fan Fest) para veículos em dias de jogos do Brasil;
• Atuação de 30 Agentes (GM + CET) por dia de jogo, sendo 90 nos dias de jogos do Brasil e 120 para a final;
• Foram utilizados 09 Painéis de Mensagens Variáveis (PMV’s), com média de 08 mensagens por painel, já para os demais jogos a média foi de 04 mensagens por painel;
• 08 veículos operacionais (Pickup, viatura leve e reboques);
• 12 motocicletas;
• 200 cones;


ORDEM PÚBLICA NO MARACANÃ:

• 5.040 itens apreendidos com ambulantes irregulares;
• 631 veículos rebocados;
• 697 veículos multados;
• 105 flanelinhas detidos;
• 47 cambistas detidos;
• 21 mijões multados;
• 274 itens apreendidos em ações contra o marketing de emboscada;
• 03 estabelecimentos comerciais interditados temporariamente por descumprirem o Decreto Nº 30.417.

ORDEM PÚBLICA NO FIFA FAN FEST E NO ALZIRÃO:

• 25.977 itens apreendidos com ambulantes irregulares;
• 753 veículos rebocados;
• 1.811 veículos multados;
• 60 mijões multados.

LIMPEZA
• 10, toneladas recolhidas no Maracanã;
• 498 toneladas recolhidas em Copacabana (FIFA Fan Fest);
• 20,9 toneladas recolhidas no Alzirão (Tijuca);
• 6.234 multas, das quais 1.249 aplicadas a turistas estrangeiros, emitidas pelo programa Lixo Zero;
• 452 garis e 69 agentes de limpeza urbana envolvidos na operação.

IMPRENSA

• Mais de 22 mil credenciais emitidas para a Copa do Mundo (jornalistas oficiais e não-oficiais);
• Press Areas: 441 marcações de emissoras de tv, 221 horas de transmissão ao vivo, 41 emissoras de 19 países.
• CAM: 3,5 mil jornalistas credenciados, 40 dias de operação;
• FIFA: 19 mil jornalistas credenciados;
 • IBC: 55 mil metros quadrados, 17 estúdios de tv, 160 emissoras, 5 mil horas de transmissão e 2 mil profissionais ao mesmo tempo;

CENTRO DE OPERAÇÕES

• 140 deslocamentos de delegações monitoradas
• 220 horas de monitoramento do Fan Fest;
• 13 alertas via Twitter;

SAÚDE

• 330 turistas de 35 nacionalidades atendidos nas unidades muncipais;
• 10 pacientes removidos do estádio;
• 15.06 – Argentina x Bósnia (Dois turistas argentinos removidos para o Hospital Municipal Souza Aguiar (HMSA) devido a traumas resultantes de quedas); 
• 18.06 – Espanha x Chile (Duas chilenas e uma brasileira foram levadas para o HMSA devido a traumas resultantes de quedas); 
• 22.06 – Bélgica x Rússia (Um turista alemão, com trauma devido a queda; um canadense, com entorce de joelho; e um brasileiro, com contusão na cabeça, foram transferidos para o HMSA);
• 25.06 – Equador x França (Um brasileiro levado ao HMSA com dor no cotovelo e quadro de diabetes descompensada);
• 28.06 – Colômbia x Uruguai (Uma turista colombiana foi levada ao HMSA devido a trauma no braço direito resultante de queda); 
• 13.07 – Argentina x Alemanha (Foram levados para o HMSA, um francês com corpo estranho no esôfago e um australiano com traumatismo crânio-encefálico). 

Prefeitura-rj
Autor: Juliana Romar/Fotos: J.P Engelbrecht, Raphael Lima e Ricardo Cassiano

Nenhum comentário:

...

...

...