Noticias

3 de jul de 2014

Inicio das obras do Complexo Esportivo de Deodoro




O prefeito Eduardo Paes deu início nesta quinta-feira (03/07/14) às obras do Complexo Esportivo de Deodoro, que será sede de 11 modalidades olímpicas e quatro paralímpicas nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.
Após a Olimpíada, uma parte do espaço será transformada no Parque Radical, a segunda maior área de lazer da cidade (atrás apenas do Parque do Flamengo).


O complexo, que recebeu os Jogos Panamericanos de 2007 e os Jogos Mundiais Militares de 2011, já tem 60% das instalações permanentes construídas, a serem adaptadas para 2016. As obras serão coordenadas pela RioUrbe e pela Empresa Olímpica Municipal (EOM), e realizadas com recursos do Ministério do Esporte, em um investimento de R$ 800,8 milhões. A conclusão está prevista para o primeiro semestre de 2016.


- Estamos aqui hoje dando início à última coisa que faltava iniciar para a Olimpíada. Todas as outras obras estão absolutamente no prazo. Aqui, 60% dos equipamentos já estão prontos e o que tem de ser construído é muito simples. Não tenho dúvidas de que essas serão as Olimpíadas com mais legados, mais realizações, mais entregas e mais recursos privados dentro do processo. Serão as Olimpíadas das Olimpíadas – afirmou Paes, acompanhado do ministro dos Esportes, Aldo Rebelo; do comandante do Exército, general Enzo Martins Peri; e dos presidentes da Autoridade Púbica Olímpica (APO), general Fernando Azevedo e Silva, da Empresa Olímpica Municipal (EOM), Joaquim Monteiro de Carvalho, e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman.



O Complexo Esportivo de Deodoro será a sede de 11 modalidades olímpicas (hipismo saltos, hipismo adestramento, concurso completo de equitação, BMX, mountain bike, pentatlo moderno, tiro esportivo, canoagem slalom, hóquei sobre grama, rúgbi e basquete) e quatro paralímpicas (tiro esportivo, futebol de 7, hipismo e esgrima). Além do circuito para canoagem slalom e do BMX, será construída a Arena Deodoro, outra instalação permanente, e serão erguidas duas estruturas provisórias para as competições de mountain bike e rúgbi/combinado de pentatlo moderno.


- Hoje é um dia muito especial, pois estamos aqui antecipando soluções importantes para o grande projeto das Olimpíadas de 2016. Esse complexo esportivo vai receber mais de 200 países com suas delegações para os Jogos no Rio e o Governo Federal tem trabalhado em profunda cooperação e harmonia com a prefeitura para prover as condições necessárias para que o Brasil cumpra a expectativa do mundo nesses Jogos – disse o ministro Aldo Rebelo.



Após os Jogos Olímpicos, o circuito de canoagem slalom e a pista de BMX farão parte do Parque Radical – um espaço com cerca de 500 mil metros quadrados -, que será o legado esportivo do evento para a região. Instalações esportivas terão uso combinado, servindo tanto ao lazer da população quanto como centro olímpico de treinamento de atletas de alto rendimento, em uma região com poucas opções para a prática de atividades ao ar livre e grande concentração de população jovem.



Durante o processo de licitação para escolha das empresas responsáveis pela preparação do local, o Complexo de Deodoro foi dividido em duas grandes áreas delimitadas pela linha férrea. As intervenções começarão pela região Norte, que inclui o circuito de canoagem slalom, a pista de mountain bike, a pista de BMX, o Centro de Tiro, a Arena de Rúgbi e combinado do Pentatlo Moderno, a Arena Deodoro (esgrima do pentatlo moderno e preliminares do basquete feminino), o Centro de Hóquei sobre Grama e a piscina do pentatlo moderno. As obras serão realizadas pelo consórcio Complexo Deodoro, formado pelas construtoras Queiroz Galvão S/A e OAS S/A.


A primeira fase das obras abrangerá as áreas comuns e de circulação do Parque Radical e edificações de apoio, com intervenções de infraestrutura, preparo de canteiros e limpeza do terreno. Na sequência, serão iniciadas as intervenções da Arena Deodoro e a reforma do Centro de Tiro.


A partir de agosto começarão as obras da Região Sul, que contempla o Centro Nacional de Hipismo, onde acontecerão as competições de cross country, saltos e adestramento. O responsável é o consórcio IBEG Engenharia e Construções Ltda.


Além da construção e reforma das instalações, os contratos das duas regiões preveem 10 meses de operação e, após os Jogos, seis meses para desmontagem das estruturas temporárias e adequações das arenas permanentes.


As primeiras obras serão de terraplanagem da pista de BMX, da canoagem slalom e da Arena Deodoro. O objetivo é completar logo essa etapa antes do verão, por causa das chuvas. Para isso, teremos cerca de mil operários trabalhando em turnos esticados, até às 20h, e aos sábados. Assim como já ocorre nas obras do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, o turno de 24 horas será implantado no auge da obra e o número de operários pode chegar aos 1.500 - explicou Armando Queiroga, presidente da RioUrbe.O Complexo Esportivo de Deodoro


O Complexo Esportivo de Deodoro foi construído pelo Governo Federal (Ministérios do Esporte e da Defesa) para os Jogos Panamericanos e Parapanamericanos de 2007. Desde que foi criado, o complexo já recebeu 300 eventos esportivos, entre mundiais, panamericanos, sulamericanos, seletivas olímpicas e panamericanas, disputas nacionais e estaduais, além de inúmeras provas juvenis, incluindo os Jogos Escolares. A média é de 43 eventos por ano, quase um por semana. O local também foi base para o treinamento de atletas e seleções do Brasil e de outros países.


No Complexo são oferecidas escolinhas esportivas para estudantes da região, com programação viabilizada em parceria entre o Governo Federal e as confederações das modalidades praticadas no local. Em parceria com a Vale, o complexo vai ganhar em breve um centro de atletismo nível 1 da IAAF (Federação Internacional de Atletismo).


Instalações Olímpicas do Complexo Esportivo de Deodoro

EXISTENTES (precisam apenas de adaptações)

- Centro de Tiro - Os sete estandes passarão por adequações. Será construído um estande temporário para as finais (tiro e carabina), com 2 mil lugares.

- Piscina do pentatlo moderno - A piscina será reformada e ganhará uma arquibancada com 2 mil assentos temporários.

- Centro de Hipismo - A pista de cross country, as pistas de treinamento e a arena de saltos e adestramento serão adaptadas e ampliadas. Haverá uma nova clínica veterinária e acomodações para tratadores e veterinários (72 apartamentos de 3 quartos), que ficarão como legado após os Jogos.

- Centro de Hóquei sobre Grama - As duas quadras existentes serão adaptadas. Serão construídos vestiários, uma arquibancada permanente com 2.400 lugares na quadra principal, e um centro administrativo. Durante os Jogos, o Centro de Hóquei terá 5 mil assentos temporários na quadra secundária e 7.500 na quadra principal.


NOVAS INSTALAÇÕES PERMANENTES (serão construídas)

- Arena Deodoro – Capacidade de 5 mil lugares, sendo 2 mil permanentes e 3 mil temporários.

- Pista de BMX – Capacidade de 7.500 lugares temporários.

- Circuito de canoagem slalom – Capacidade de 8.500 lugares temporários.


INSTALAÇÕES TEMPORÁRIAS

- Pista de mountain bike – Capacidade de 25 mil lugares, sendo 5mil temporários e 20 mil em pé.

- Arena de rúgbi e combinado do pentatlo moderno – Capacidade de 15 mil lugares temporários. 

Autor: Juliana Romar/Fotos: Beth Santos

Nenhum comentário:

...

...

...