Noticias

7 de set de 2015

A nova Praça Mauá

 
O prefeito Eduardo Paes inaugurou neste domingo (06/09) a nova Praça Mauá, devolvendo à cidade e aos cariocas o novo espaço revitalizado do Porto Maravilha - com vista para a Baía de Guanabara. A festa seguiu com um dia de atividades gratuitas para adultos e crianças, incluindo shows de música, teatro e gastronomia ao ar livre. Fechada desde 2011 para obras do Túnel Rio450, inaugurado este ano, a praça reabre para moradores e turistas como a primeira da Orla da Guanabara Prefeito Luiz Paulo Conde.
 

Urbanizada no início do século passado, quando a grande reforma do prefeito Pereira Passos aterrou 1,5 milhão de metros quadrados para a construção do Porto do Rio, a Praça Mauá nasceu com a antiga Avenida Central, atual Avenida Rio Branco. Batizada em homenagem a Irineu Evangelista de Sousa (1813-1889), o empreendedor e abolicionista Barão de Mauá, representava a integração da cidade ao Porto e à Baía. No centro da revitalização da Região Portuária, na esplanada diante do Museu do Amanhã, a Praça Mauá se volta novamente ao futuro com o mesmo espírito de integração e desenvolvimento.

Seis vezes maior, o espaço tem hoje 25 mil metros quadrados ante os 4 mil metros quadrados da configuração original. Saiu da sombra do Elevado da Perimetral para se tornar a mais nova opção de lazer e convivência da cidade, com cinco canteiros de flores, 80 bancos, 58 árvores (31 preservadas e 27 novas) e diferentes tipos de arbustos. A obra utilizou 11 mil metros quadrados de diferentes tipos de granito; implantou 50 postes e luminárias de LED e adotou sistema de drenagem especial com canaletas embutidas.
 
Contratada pela prefeitura para executar as obras e prestar serviços nos 5 milhões de metros quadrados do Porto Maravilha, a Concessionária Porto Novo escalou 250 trabalhadores para renovar o espaço sem perda do conceito original. A Concessionária VLT Carioca destacou 70 operários para a instalação dos 560 metros de trilhos, entre o prédio da Polícia Federal e o começo da Avenida Rio Branco, que vão transformar ainda mais a área quando o sistema entrar em operação em 2016.
 
Para os frequentadores do circuito cultural da Região Portuária, como o Morro da Conceição, o Largo da Prainha, a Pedra do Sal e o Cais do Valongo, a praça volta a concentrar atenções. Entre o Museu de Arte do Rio (MAR) e o futuro Museu do Amanhã, a arada dos Museus do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) também fica no centro do trajeto, que parte da Rodoviária Novo Rio, passa pela Via Binário do Porto, Avenida Rodrigues Alves, Praça Mauá e a Avenida Rio Branco até o Aeroporto Santos Dumont.
 

A Praça Mauá é a primeira a ser inaugurada na nova Orla Conde, área de 3,5 quilômetros que se estende por toda a frente marítima, do Armazém 8 do Cais do Porto à Praça da Misericórdia, e conecta pelo menos 27 centros culturais da região central da cidade, valorizando especialmente a circulação de pedestres e ciclistas. O prefeito Eduardo Paes batizou o caminho de 215 mil metros quadrados em homenagem ao ex-prefeito, arquiteto e urbanista Luiz Paulo Conde, que sempre defendeu a demolição do Elevado da Perimetral, fundamental para a revitalização da Região Portuária.

Moradores da região desde a infância, Moema e Heráclito Amorim foram conhecer a nova Praça Mauá e aprovaram as intervenções. 
  
O Museu de Arte do Rio (MAR) abre as portas para receber gratuitamente os trabalhadores das concessionárias Porto Novo e VLT Carioca e suas famílias. Responsáveis pela transformação da praça, os profissionais terão guias especializados em visita panorâmica de apresentação do museu, acervo e arquitetura. O programa de inauguração marca a proposta do MAR de atuar além do prédio expositivo. Das 14h às 16h, equipe de monitores sai à praça com a atividade Forma das Palavras, em que os participantes são convidados a reorganizar frases de poesias recriando formas e sentidos.
 
 
Histórias da praça, sua estátua e uma volta histórica
 
De frente para a Baía de Guanabara e no início da Avenida Rio Branco, obra do escultor brasileiro Rodolfo Bernardelli, a estátua de Irineu Evangelista de Sousa, conhecido como Barão ou Visconde de Mauá, chegou à Praça Mauá em 1910. O responsável por retirar e devolver a estátua à Praça Mauá não herdou de seu pai, Emilio Giannelli, apenas o nome, mas também o ofício de restaurador de monumentos e a função de cuidar do "Barão". Em 1962, Emilio Giannelli, o pai, removeu pela primeira vez a estátua para a passagem da Perimetral. Ela permaneceu em depósito da Prefeitura do Rio até 1978, quando os Giannelli, pai e filho, devolveram juntos o Barão ao lugar de origem. Mais de 30 anos depois, o filho Giannelli, de 44 anos, é o engenheiro responsável pela tarefa. A estátua foi colocada na Praça Mauá pela importância do ponto, parada final da primeira ferrovia do Brasil construída por ele. Além de urbanizar grande trecho hoje conhecido como centro da cidade, Irineu Evangelista de Souza trouxe iluminação, água canalizada e saneamento básico antes inexistentes na área.
 
Prefeitura - RJ
 

Nenhum comentário:

...

...

...